Observatório Safira | Carga

12/12/18

Devido a melhor condição de ventos, a região Nordeste voltou a apresentar uma boa geração eólica, o qual a região voltou a patamares acima de 6.000 MWmed. Além disso, a região Nordeste continua apresentando uma elevada geração hidráulica devido ao aumento de afluência à UHE Itapebi. Assim, devido a boa geração eólica e hidráulica do submercado, combinada a uma baixa carga, fez com que a região Nordeste necessitasse de uma menor quantidade de energia provinda do SIN, porém a região ainda permanece recebendo bons patamares de energia provindo do sistema.

Devido a uma elevada carga, tanto a região Norte quanto a região Sul e Sudeste, acabaram realizando elevados patamares em geração hidráulica. A região Norte mesmo apresentando elevados patamares em geração hidráulica, a região mantém a realização do seu controle de Fluxo Norte/Sudeste, desta forma a região permanece enviando elevados patamares em energia, mantendo-se na faixa de 5.000 MWmed. Na região Sul, devido a elevada carga e a menor geração térmica e eólica, fizeram com que a região recebesse uma quantidade maior em energia provinda do sistema, mantendo assim o intercâmbio para a região na casa dos 3.000 MWmed. Já na região Sudeste além da elevada carga, houve também uma maior produção total de Itaipu para o Brasil, uma vez que houve uma menor geração térmica pela região. Desta forma a região Sudeste acabou recebendo grandes montantes de energia do sistema chegando a patamares acidam de 4.000 MWmed, fato que não ocorria desde o final de junho. Assim, A região Norte continua enviando elevados patamares de energia, e as regiões Sul e região Sudeste permanecem recebendo elevados patamares.

Houve intercâmbio internacional pelas conversoras de Melo e Rivera, porém não foram apresentados desvios significativos.

Deixe aqui o seu comentário